Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Alemanha... (aos meus olhos)

Talvez a história (contemporânea) tenha condicionado, fortemente, a minha opinião sobre uma das grandes potências europeias. Apesar da dificuldade em apagar da memória o que a história me ensinou, de sentir dificuldade em escrevinhar sobre o mesmo, ao rever fotografias da minha viajem a Munique decidi incluir a capital da Baviera nos meus “roteiros intimistas”.

 

Munique

 

 

Apesar de considerar a Alemanha um país frio e calculista, um país onde falta simpatia e afetos, ninguém duvida de que a Alemanha é detentora de um conjunto de caraterísticas que a tornam um país de referência no atual contexto europeu. E a cidade de Munique(München) não escapa a este posicionamento. Além de ser a terceira cidade mais populosa do país é sede de várias multinacionais impondo-se como um dos mais importantes pólos da indústria alemã.

 

Rio Isar (em Munique)

 Detalhes de Munique (1)

 

Aterrei no aeroporto de Munique numa tarde da primavera de 2011. Um céu azul e uma luz límpida e brilhante tornavam a cidade mais acolhedora e com algum magnetismo (diria). Porque a curiosidade era imensa e a vontade de conhecer maior, pouco tempo após a chegada já estava à descoberta da cidade. Monumental, achei. Edifícios magníficos (de grande porte). Muita higiene e limpeza. Organização e método nos serviços. Gostei. Conquistou-me momentaneamente. Por algum tempo esqueci o “passado” e disfrutei do que a cidade tinha para oferecer.

 

  Detalhes de Munique (2)

  Detalhes de Munique (3)

 

Aproveitei o bom tempo e dei um pulo até Nuremberga (Nürnberg).Uma cidade de raiz medieval, quase toda reconstruída no pós segunda grande guerra e conhecida pelos mediáticos “julgamentos de nazis”. Com um centro histórico, rodeado por uma grande muralha, ali sente-se verdadeiramente o peso da história. O silêncio impõe-se. Há mais tempo para o recolhimento e para a apreciação dos espaços envolventes. Uma cidade arquitetonicamente harmoniosa, cuja riqueza patrimonial anula qualquer conotação negativa associada à história recente.

 

 Nuremberga (detalhes 1)

  Nuremberga (detalhes 2)

 

 

E novamente Munique, a beber cerveja da boa (mas não no Oktoberfest, um festival de cerveja mundialmente conhecido)

 

 

 

1 comentário

Comentar post