Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Barcelona, a cidade criativa

Barcelona, a multicultural, multirracial e multicores cidade da Catalunha. Foi desta forma que os meus sentidos captaram aquela que é uma das cidades espanholas mais agitada social e culturalmente. Em cada recanto se respira arte e cultura. A cada avenida um edifício surpreende-nos. De estilo, muitas vezes eclético, a arquitetura da cidade é uma surpresa a cada instante. Se necessário, apelidá-la-ia de cidade criativa. Foram, sobretudo, as fantásticas obras de Gaudí (o grande e famoso arquiteto catalão) que contribuiram para o efeito. Salientam-se, entre outras, a casa-museu no parque Güell , Casa Batlló, La Pedrera  e a Sagrada Família. Para muitos a “Sagrada Família” é (diz-se) a obra mais emblemática (e enigmática) da cidade. Pessoalmente, considero a “ Pedreira” (como lhe chamaram os catalães na altura da sua construção) uma obra de arte grandiosa. Uma escultura na verdadeira aceção da palavra.

 

 Casa Batlló

 

 La Pedrera

 

Mas Barcelona também é conhecida pela sua vida cultural. A noite (la movida catalã) é boémia e agitada. Las Ramblas (no centro da Cidade Velha) é, de todas, a zona mais movimentada da cidade. Ali tudo acontece. A mais pequena extravagância existe ali (de certeza). Quem quer ser visto (e ver) vai às Ramblas. A animação é constante e as “novidades” é ali que chegam em primeiríssima mão. O percurso no local não demorou muito tempo. Rapidamente captei a dinâmica e o modo de estar ali. Não me fascinou (particularmente). Prefiro outros espaços (menos massificados) onde a tranquilidade domine e eu possa disfrutar do momento. Foi isso que fiz numa rua recôndita nas imediações da Cidade Velha que conflui na Praça de La Puntual. Aí jantei ao som de música de rua (sul americana, no caso) numa noite morna de agosto. Foi bom estar ali, calmamente, a observar as pessoas e tentar desvendar os seus segredos, as suas histórias. Manias de viajante.

 

 La Rambla

 

Lamento não ter tido tempo suficiente para explorar mais a cidade. No entanto, julgo ter apreendido a “alma da cidade”. Preciso voltar (quando não sei)! Agrada-me a vertente cultural de Barcelona e os Mega espaços por lá existentes, como a conhecida e monumental avenida Diagonal (onde qualquer viajante deve passear).

 

 Vista parcial de Barcelona

 

 

 Sagrada Família

1 comentário

Comentar post