Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

(Caminhando) por Londres…

Acordar no Charing Cross hotel, o local de eleição do Eça (de Queirós) nas suas passagens por Londres, abrir a
janela do quarto e constatar que há sol é algo surreal. Sobretudo se estivermos no outono. Foi isso que aconteceu da primeira vez que visitei a cidade. Magnífico quadro natural. Pensei. O hotel, um edifício vitoriano renovado, muito acolhedor e com um excelente serviço de atendimento, situa-se próximo de Trafalgar Square (um local emblemático do centro de Londres) e  junto à estação Charing Cross.

 

Charing Cross Hotel

 Trafalgar Square

 

Aproveitando aquela localização privilegiada, num dos dias da minha estadia, fiz um périplo pelos locais turísticos (é certo) mas que qualquer viajante curioso deseja conhecer. Depois de Trafalgar Square entrei na Pall Mall (a famosa “alameda”), assisti ao render da Guarda e segui até Buckingham Palace (a residência oficial da monarca inglesa) e que na altura oferecia ao público várias exposições alusivas às comemorações dos 60 anos de reinado.

 

Buckingham Palace

Dali, a caminhada conduziu-me até Hyde Park, um lugar onde a natureza nos brinda com uma paisagem natural magnífica e digna de uma visita. Um local, onde se respira ar puro, ideal para repousar e estar em harmonia com o espírito e esquecer a agitação da vida mundana ali tão perto.

 

Hyde Park

 

Depois de um cappuccino (delicioso) numa esplanada do parque o itinerário prosseguiu até Kensington Palace e respetivos jardins. Espaços magníficos (principescos mesmo).

 

 Kensington Palace

 Kensington Palace (jardins)

 

Mais alguns minutos , em passo lento (de passeio mesmo) e eis-me defronte do famoso Royal Albert Hall. Algumas fotografias da praxe e continuei até ao Museu de História Natural. Um local onde a história do “Planeta Azul”, nas várias dimensões da ciência, é contada de forma espetacular. Uma viajem, às “nossas origens” (e evolução), dinâmica, interativa e potenciadora do conhecimento. Um mundo a explorar por miúdos e graúdos.

 

Royal Albert Hall

 

A tarde chegou e com ela o desejo do recolhimento e do sossego pois o dia fora super preenchido e a manhã seguinte estava, antecipadamente, reservada para Portobello Road Market. O famoso mercado de rua do bairro (também famoso) Notthing Hill. Um dos mais conhecidos e frequentados mercados de rua de Londres. Um acontecimento a não perder nunca. Um mundo de contrastes invulgar. Um espaço onde a moda vintage se cruza com estilos mais arrojados(futuristas) ditando tendências únicas e inovadoras.

 

 Portobello Market

 

Para além de Portobello, vale a pena passar (também) por Convent Garden Market. Um lugar onde a moda, a gastronomia e a arte (essencialmente a música) se cruzam para delícia dos visitantes. Gostei do ambiente. Cosmopolita, mas descontraído q.b.

 

 Convent Garden Market

 

Londres é tudo isto e muito, muito mais. Apetece voltar! Todos os anos.

 

1 comentário

Comentar post