Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Convívios de outrora… (e de hoje)

 Outrora, quando a família se reunia para almoçar ou jantar – em dias de festa, ou não -, havia convívio, na verdadeira aceção da palavra. Um convívio salutar, durante o qual as conversas fluíam umas após outras. Quase sempre, os mais divertidos, contavam anedotas (ou outras piadas) que faziam rir, saudavelmente. A alegria e a boa disposição dominavam as reuniões familiares, não só nos dias festivos mas, também, no dia-a-dia. Às vezes a noite prolongava-se em torno de conversas sobre acontecimentos passados, referentes à família e/ou amigos, com episódios mais ou menos rocambolescos. Uma espécie de revisitação ao passado, para animar as hostes.

 Hoje, as conversas giram – quase sempre, em torno dos problemas da vida e do país. Ou, em casos extremos, nem há lugar a grandes diálogos. Cada um refugia-se no seu canto e faz o que lhe apetece sem dar azo a grandes conversas. Os serões em família já quase não existem. Ou, se existem, são convívios “virtuais”, quase sempre associados aos Media: a ver um filme, a jogar numa PlayStation qualquer, a ver desenhos animados com as crianças, para as adormecer e, assim, ficar mais rapidamente livre para as incursões, habituais, nas “redes sociais”.

 Quando era miúda, a minha avó entretinha os netos a contar histórias (muitas vezes inventadas, por ela) com finais felizes, de cariz pedagógico, das quais se depreendia algo de útil para a vida: histórias com animais amigos, menina(o)s bondosa(o)s e solidária(o)s, pais e avós pacientes, campos verdejantes e floridos, cidades despoluídas, pássaros felizes… relatos de um mundo sem vícios, nem desvirtudes.

1 comentário

Comentar post