Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Entre o rio e a serra

O ondulado da paisagem e a vegetação escassa e xerófila (alguma) denuncia a natureza agreste da zona. Situada entre a serra algarvia e o rio Guadiana a pequena vila de Alcoutim é hoje um local de passagem e de estadia para muitos visitantes. No cais de embarque os iates e veleiros são frequentes. Alguns chegam e ali permanecem (por tempo indeterminado) denunciando uma tripulação em férias, com tempo.

 

 Vista parcial de Alcoutim e Sanlúcar do Guadiana (em cima) e igreja de Alcoutim (em baixo)

 

Sentada na esplanada do velho quiosque (junto ao cais) observo o pequeno iate que desliza suavemente na água calma e tranquila do rio. Dirige-se para sul. Quem lá vai? Para onde vai? Apetecia embarcar (também) sem rumo e sem rota. Ao sabor das marés.

 

 Cais de embarque (Alcoutim)

 

Não posso. Fico por ali a ver a paisagem. Do lado de lá (na outra margem) Sanlúcar do Guadiana impõe-se na encosta. O pequeno povoado, de casas brancas, parece-me pacato, silencioso. Como sempre me pareceu. A meu lado, junto ao muro, o velho “guarda-fiscal” (em pedra esculpido) sempre atento e alerta, espreita para lá do horizonte. Enquanto isso, o astuto e afoito “contrabandista”, transportando na alma a “canseira da vida” luta pela sobrevivência nas águas calmas da noite…

 

 Esculturas de rua (guarda-fiscal e contrabandista)

"Viva a Malta, Trema a Terra

Daqui ninguém me arredou.

Quem há-de tremer na Guerra

Sendo Homem como eu sou."

Hino dos Contrabandistas do Guadiana, Cantiga Popular (inscrição na placa junto ao cais) 

 

Aqui e além a história repete-se, ou não fosse Alcoutim um dos locais onde o contrabando entre Espanha e Portugal (e vice-versa) marcou a vida das populações. Hoje, a modernidade instalou-se e introduziu profundas alterações sociais e económicas. O turismo é (atualmente) a vertente económica em ascensão.

O vaivém contante das embarcações embalou-me o pensamento de tal forma que não dei conta das horas a passarem. Era tarde, mas ainda houve tempo para passar na praia do “Pego Fundo”. A praia fluvial detentora da Bandeira Azul e da Bandeira Praia Acessível. Um local aprazível, para estar em família (ou não), em plena natureza.

 

 Largo da vila (Alcoutim)

 

 Praia do "Pego Fundo"

 

Segui depois até aos “Menires do Lavajo. Um monumento megalítico situado junto ao troço da “via algarviana” (percurso pedestre) próximo de Alcoutim.

 

 Monumento Megalítico "Menires do Lavajo"

No final da tarde, a certeza de um dia tranquilo e bem passado. Aconselho este passeio.

1 comentário

Comentar post