Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrito da (na) Ria

Voltei (menos de um ano depois) ao meu porto de abrigo na Ria Formosa. Cabanas. Para alguns poderá ser um local banal, igual a tantos outros. Talvez seja assim na perspetiva da simplicidade das coisas. Prédios banais, casas vulgares, restaurantes e bares iguais a muitos. Mas a ria vista dos apartamentos do Cabanas Park Resort tem uma beleza e um encanto especiais. O pio das aves no sapal são a sinfonia da tarde que me ajuda a relaxar.

 

 Detalhes do Cabanas Park Resort

 

Na piscina, em contraluz aprecio o horizonte. Ao longe, Tavira assemelha-se a uma qualquer cidade marroquina. Porquê? Por culpa (talvez) do perfil do aglomerado de casas brancas no vasto horizonte. A temperatura (quente para a época) amorna o ar e anestesia-me o corpo e o espírito. Fico ali (imóvel) a ouvir o som dos repuxos de água que ladeiam a piscina. De vez em quando a gargalhada de uma criança quebra o silêncio no Ria Park.

Ali o entardecer é mais idílico. O reflexo do sol nos canais, as aves em bandos (por vezes), como os flamingos que por ali cruzam o céu já quase à noitinha, e o sossego envolvente tornam o local ideal para retemperar forças e adquirir ânimo para mais uma semana de trabalho. É o bálsamo (físico e mental) que se impõe para contrabalançar o stress das rotinas diárias.

 

Piscina no Cabanas Park Resort

 

Antes do jantar ainda há lugar a um banho turco seguido de uma sessão de jaccuzi  numa sala de paredes envidraçadas que permitem contemplar o pôr do sol. É, sobretudo, esta visão magnífica que trago comigo das estadias em Cabanas.

 

 "Jacúzi no terraço" e "Entardecer no sapal"

 

Ao jantar posso dar um salto até Santa Lúzia e degustar as iguarias da Casa do Polvo ou, caso me apeteça, continuar na pacata localidade piscatória, e optar pelo Grelha Peixe um restaurante marisqueira onde se come maravilhosamente bem.

Após o jantar nada melhor que uma caminhada pela marginal. Finalmente, se apetecer, terminar a noite no Quasi um bar intemporal e “sempre na onda”.

 

Bar Quasi (Cabanas)

2 comentários

Comentar post