Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Há pessoas (realmente) especiais

 Na semana passada, após breve conversa com a mãe de uma amiga de longa data, perguntei-me: porque será que certas pessoas, por mais tempo que estejam afastadas de nós, continuam a ser-nos tão especiais? A sensação de falar com alguém, de quem estivemos separados no tempo e no espaço e sentir, de imediato, o afeto, o carinho e a confiança de outrora é, no mínimo, reconfortante.

 Há pessoas assim: tão especiais que não mudam em nada. Pelo menos aos nossos olhos, continuam iguais (a si mesmas) e a confiança que transmitem envolve-nos num manto de paz e carinho. Por instantes o tempo regride e os afetos voltam, como se nunca tivessem sido interrompidos. São portos de abrigo que nos acolhem sempre que as tempestades chegam. Um gesto e uma palavra de amizade que chegam, muitas vezes, de forma inesperada.

 Tive a sorte de me cruzar com pessoas assim. Algumas (felizmente ainda presentes) são aquilo a que chamo: encontros perfeitos numa vida de imperfeições; raios de luz na penumbra.

Ter amigos assim é uma dádiva. Obrigada.

5 comentários

Comentar post