Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Ideal para "preguiçar"!

Hoje apeteceu-me viajar no tempo.

Recordar as estadias em Corte Nova da Preguiça (freguesia de S. Luís, concelho de Odemira). Recomenda-se, sobretudo, aos amantes da natureza e do sossego absoluto. Excelente para quem precisa de uma pausa, de uma escapadinha para carregar baterias. Descobri este magnífico turismo em espaço rural quase por acaso. Numa daquelas viagens sem destino cujo objetivo era encontrar um local aprazível para passar o fim-de-semana. De preferência no sudoeste alentejano. Foi no verão, mas poderia ter sido na primavera, no outono… Qualquer estação. O verão permitiu conciliar a estadia com uma ida à praia das Furnas (frente a Vila Nova de Milfontes).

O que se pode fazer no Monte Corte Nova da Preguiça? Tanta coisa. Desde logo, preguiçar (na verdadeira aceção da palavra), nadar na piscina, ler, passear pelos campos envolventes, dar um pulinho a S. Luís e no caminho apanhar amoras silvestres. Deliciosas e abundantes por ali. Ou, simplesmente, descansar.

O ambiente acolhedor, despojado e fundamentalmente simples no que à decoração diz respeito, conduz à plenitude máxima do bem-estar. Cada recanto e cada objeto simbolizam um modo de estar único. Ali estamos em “modo Zen”. Excelente para quem gosta de meditar e contemplar. Só ou acompanhado.

Recordo o pequeno-almoço (sem hora estipulada) com pão caseiro do dia (quase quente ainda) e um sumo de laranja acabadinho de fazer pelo amigo Zé (o proprietário que faz questão de referir que ali não há hóspedes, há amigos). Recordo, ainda, os jantares amavelmente preparados pelo amigo Zé. Basta marcar atempadamente e… deixar o resto ao seu critério. Verdadeiras maravilhas gastronómicas onde a imaginação e a criatividade imperam. Finalmente, recordo o convívio agradável entre os hóspedes (muitas vezes ao luar e acompanhado de uma boa dose de conversa) que faz deste local um espaço acolhedor e único. Um espaço onde todos voltam todos os anos. Como eu.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1 comentário

Comentar post