Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Na "rota dos sabores" (5)

Numa das minhas estadias por Sintra, já de saída, estacionei numa rua banal. Igual a tantas outras. Procurava um restaurante. A expectativa era baixa pois a experiência gastronómica no centro histórico da magnífica vila não tinha `(na altura) sido a melhor. Além disso, o adiantado da hora (quase duas da tarde) não permitia uma procura cuidada e criteriosa. O que mais desejava era satisfazer a fome rapidamente.

Estacionada a viatura e eis a placa indicadora daquele que, ao primeiro olhar, me convidou a entrar. D. Pipas, um restaurante sem luxos, fora do centro histórico mas próximo do mesmo (junto à estação dos comboios).

 

 

Entro e observo rapidamente o ambiente. Parece-me limpo, acolhedor, agradável à vista. O dono (suponho) um Homem do Minho, simpático, de trato fácil, aborda-me e informa-me dos pratos do dia. Opto por umas “petingas fritas com migas de tomate”. Excelente escolha. Comida “caseirinha” (como costumo dizer). Que bom! Exclamei. Finalmente boa comida (e não comida para “turista”).

 

 

(Deliciosas) petingas com migas de tomate

 

Costumo ser exigente com a comida. Talvez seja um defeito (nalguns casos) ou talvez uma grande virtude (noutros) de quem aprecia os verdadeiros e puros sabores lusitanos. De quem se habitou (desde sempre) a sentir o aroma dos alimentos e a “brincar” aos cozinheiros. Por isso, refiro, quem faz parte da minha “rota dos sabores” foi (e é) para mim especial. Perdoem-me todos os que, em muitos casos, são também referências gastronómicas deste (nosso) cantinho. Preciso de avaliar com os cincos sentidos (e mais algum) para escrevinhar sobre o assunto.

Reparos à parte e o repasto terminou com um maravilhoso “arroz doce”, cremoso (como eu gosto).

 

 

 

 D. Pipas (vista parcial da sala do restaurante)

 

Nota : a quem passar por Sintra, recomendo o D. Pipas. Um restaurante tradicional com qualidade e muito profissionalismo.

 

3 comentários

Comentar post