Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Na "rota dos sabores" (7)

“Moreanes és meu povo, a minha aldeia é Santana (…)”. Foi a recordar a conhecida canção alentejana que rumei (hoje) até ao restaurante Al andaluz (em Santana de Cambas). Depois de um breve passeio pela aldeia é chegada a hora do almoço (já tardio). Entro no espaço onde os amigos Chico e Amélia vão recebendo com simpatia (e carinho) todos os que procuram um espaço diferente, tranquilo e com qualidade, para degustar um qualquer sabor tipicamente português. Entro e, imediatamente, antevejo que ali vou sentir-me bem. Confortável diria. Uma antiga mercearia, a loja da Júlia (como lhe chamam) deu lugar a um simpático restaurante, sem pretensões, acolhedor e de grande proximidade para com o cliente, no que ao atendimento respeita.

 

Vista parcial de Santana de Cambas e Igreja

 

Nas duas salas de refeições (apenas separadas por um ligeiro arco) decoradas a preceito (e ao jeito) pelos proprietários, há móveis restaurados (da antiga loja) e que ainda hoje são úteis, como uma velhinha balança Avery orgulhosamente exposta num pequeno balcão de acesso à cozinha. Neste recanto, o responsável pelo serviço de mesa vai preparando os acepipes de entrada (queijo fresco com azeite e orégãos e um delicioso paio alentejano) acompanhados de um bom pão caseiro servido num pequeno talego (saco de pão) de linho branco (imaculado). À medida que vou sendo atendida tenho a plena sensação que vou escrevinhar sobre o assunto. O restaurante Al andaluz merece este pequeno apontamento. Pensei.

 

Detalhes do restaurante Al andaluz

 

Pouco tempo depois chega o pedido: “Bacalhau à Casa”. Uma receita (diferente) do conhecido bacalhau espiritual com um toque pessoal da amiga Amélia, a cozinheira de serviço. Bom aspeto! Excelente no sabor. Uma dose bem servida (dá para duas pessoas). No final uma mousse de café deliciosa, doce q.b. (como costumo dizer). Um café com um “miminho” da Nestlé (de chocolate claro) rematou aquela que foi uma excelente opção de almoço de domingo.

  

"Bacalhau à Casa" e "Mousse de Café"

 

Parabéns aos proprietários. Continuem a deliciar-nos com a vossa comida e o vosso carinho.

 

 

1 comentário

Comentar post