Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Nas terras de S. Macário

Não foi por acaso (mas podia ter sido) que descobri que o ambiente nas serras,  no verão,  é único. Tudo na serra  começa a mudar  com a chegada da primavera. A vegetação é mais abundante e diversificada e até no que à fauna diz respeito a diversidade é outra. A aproximação dos dias longos torna tudo mais intenso e mais ativo. Qualquer planta por mais minúscula que seja torna-se visível aos olhos de um observador atento. Sem neve nos cumes a perceção da vida na serra é outra. Além disso, permite-nos disfrutar da paisagem envolvente, tarefa impossível na maior parte dos dias de inverno. Quem dispensar os desportos de inverno e quiser disfrutar em pleno das potencialidades das nossas serras deve procurar fazê-lo a partir desta época. Foi num passeio à Serra da Estrela (em pleno mês de agosto) que pude experienciar sensações únicas. Outras serras se seguiram… de todas guardo recordações. A mais envolvente, aquela cuja imponência mais me marcou foi sem dúvida a serra de S. Macário (localizada a pouco mais de 10 km a norte de São Pedro do Sul (distrito de Viseu). Conjuntamente com as serras da Arada, da Freita e do Arestal, faz parte do vulgarmente denominado maciço da Gralheira.

 

 

Além da observação da paisagem envolvente durante a subida ao alto de S. Macário (para visitar a ermida do santo que lhe deu o nome) recomenda-se, também, uma visita à aldeia da Pena (que fica próxima). A aldeia toda de xisto, localizada num vale profundo e encaixado, enquadra-se num cenário natural de rara beleza. Os carros ficam à entrada da aldeia. Todo o percurso será feito a pé (nada transcendente pois a aldeia é pequena). Aqui recomendo a adega típica para almoçar um “cabrito na brasa” acompanhado de um vinho tinto de sabor intenso (vinho morangueiro). Enquanto isso, podemos ir desfrutando da paisagem do vale e ouvir o murmúrio da água da ribeira (caso se opte por ficar na esplanada nas mesas de tampo de xisto). E com este cenário damos alimento ao corpo (e à alma) porque a vida é feita de momentos. Momentos únicos que a serra proporciona, em pleno verão.

 

 

 

 

 

 

 

 

Sugestão para dormir e disfrutar de um SPA: hotel do Inatel em S. Pedro do Sul. Excelente.