Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Os "contos" da minha avó

Quem disse que para entreter e educar as crianças é necessária uma profusão de brinquedos e outros “realejos”? Outrora, quando a sociedade da globalização era ainda um projeto a médio prazo, a minha avó materna tinha o condão de entreter os netos, com contos da sua autoria: fábulas inventadas e outras odisseias, de enorme criatividade.

Quando a noite chegava e o silêncio entrava pela casa dentro, os netos, para melhor adormecerem, exigiam-lhe uma dessas aventuras, ficcionadas na hora. Estórias de base realista, quase sempre moralista, que nos faziam sonhar e viver cenários de pura aventura. Narrativas, em que o “Bem” e o “Mal” eram realçados por palavras sábias.

Numa pedagogia intuitiva, a minha avó conseguia um duplo objetivo: adormecer-nos e ensinar-nos verdadeiras “lições de vida”. Uma forma simples de educar, levada até aos bisnetos, que ainda hoje recordam “as histórias da avó Jacinta”.