Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Cacela Velha, ontem e hoje

A publicidade (excessiva) desvirtua o que é natural e genuíno: o turismo de massas chegou a Cacela Velha. Ontem, fiquei (um pouco) desencantada com a ambiência daquela que já foi uma aldeia mística, uma pérola no sotavento algarvio. Ali comi: as melhores ostras e o melhor arroz de lingueirão. Fui cliente pioneira do restaurante Casa Velha, no tempo em que o Senhor Joaquim recebia os comensais como amigos e familiares. Porque a relação de proximidade, assim o permitia. Naquele tempo, a esplanada (exígua) do restaurante, limitava-se a meia dúzia de mesas, dispostas na ruela inclinada, junto à buganvília púrpura.

Hoje, apercebi-me, pela primeira vez, que as multidões chegaram ali, trazendo ruído e confusão à outrora tranquila Cacela. O silêncio nas ruas deu lugar à música, por vezes incomodativa, que polui o ambiente e retira encanto aos lugares. O bar Azul, deixou de ser um lugar de tranquilidade, quase meditativa, para se transformar num loundge - onde se vende água de coco (no próprio fruto), repleto de "tias", que ostentam as últimas tendências da moda de verão.

Enfim, consequências da massificação dos destinos turísticos.

image.jpeg

image.jpeg

image.jpeg

image.jpeg

 

 

 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.