Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

O que vale a palavra?

 

Às vezes tudo, às vezes nada. Sempre assim foi e assim será.

A palavra, símbolo da existência humana, continua a representar ideias, factos, conceitos e teorias… uma representação nem sempre fidedigna das ações a que pretende aludir e/ou dos objetivos que pretende alcançar. Seja qual for o valor intrínseco da palavra, o seu efeito continuará a fazer-se sentir, nos mais diversos momentos. Assim, a palavra pode ser uma lufada de ar nos momentos de tormenta, uma almofada de conforto na tristeza dos dias, uma recompensa de jornadas de luta… Em suma: um valor acrescido, quando aquilo que se diz (ou se escreve) traduz, na perfeição, aquilo que se pensa. Bem sei que “um gesto vale mais que mil palavras”. Não duvido, mas hoje, e aqui, o valor da palavra tem outro significado: uma crença de que a palavra certa, no momento certo, pode fazer a diferença. É disso que se trata, de palavras sérias e aconchegantes, palavras informais e libertadoras, palavras de amabilidade e compaixão e não de palavras falsas e vãs. Palavras que conduzam a tudo aquilo que o mundo precisa: viver, plenamente, cada momento, sem comportamentos típicos de uma pequenez de espírito.

2 comentários

Comentar post