Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Escrita ao Luar

Um blog de “escrita” sensitiva e intimista sobre (quase) tudo... e com destaque para: viagens, ambientes inspiradores e gastronomia.

Acredita(r) em ti

Abro as portadas e deixo a luz entrar. Ao fundo o verde dos montes corta o cinzento do dia. No ar a leve brisa das manhãs de inverno traz ao momento melancolia. No semblante oculto de quem passa, sinto a tristeza da ausência. Uma ausência no viver, que se entranha na alma e alimenta o vazio dos afetos.

Abraço o momento com confiança, porque a solidão, o medo e a tristeza atingem toda a gente. Se aceitar o meu caminho com todos os altos e baixos, tudo será mais fácil porque “a aventura da vida está na viagem, nunca na chegada”.

Há sempre um amanhã melhor quando a mente quer e o corpo não cede ao desalento. É fácil? Não. Nem tem que ser. Exige coragem e a “coragem exige prática”. Por vezes basta abraçar novos desafios acreditando nos nossos talentos. Nunca é demasiado tarde para acreditar no que verdadeiramente sabemos fazer. Dá trabalho? Sim. Mas todo o trabalho tem vantagens e desvantagens. E mais: acreditar em nós é o primeiro passo para o sucesso. Escutar a nossa própria sabedoria é o primeiro passo para o auto-conhecimento e daí o trampolim para ultrapassar obstáculos e vencer desafios. E como alguém disse: “Quando visitares o vale das sombras, não vás de mãos vazias.”, agarra as boas recordações e faz delas a tua reserva para períodos difíceis da vida. Como este que vivemos, hoje.

IMG-1465.jpg

 

 

 

As cores do (meu) Caminho...

Mudar (também) é preciso! 

Eis o mote que induziu à alteração das cores deste blogue. E porque gosto das cores da Terra e dos frutos do outono - castanhos, laranjas, ocres… -, a nova imagem reflete, um pouco, dessa paleta. Um mosaico de cores que, ao contrário dos dias frios, aquece a alma e (re)ativa a imaginação.

Cores que traduzem o espírito da estação: mudança, resiliência, adaptação e (muita) confiança.

Assim, pergunto: o outono é triste? Não! A tristeza (e a alegria) está em nós. Sem confiança, o presente mutila e o futuro será hipotecado. São as cores do presente que iluminam o Caminho; selecionamos as que dão mais brilho ao nosso Percurso, para que a nossa Passagem faça todo o sentido.